A satisfação e o entusiasmo com que os integrantes dos grupos folclóricos atuam é contagiante, transformando a praça São Sebastião num verdadeiro teatro ao ar livre.
 
A festa do “Boi Duro”, que passava de porta em porta dançando com o boi fantasiado dando investidas e a Loba com a boca escancarada (carcaça da cabeça de um boi) abrindo e fechando a boca, ainda persiste. Assistia a tudo e, morrendo de medo, sentimentos típicos de criança, pensando que tudo aquilo era real, “naquela noite com certeza o sono não era o mesmo”.
“Tenho uma saudade imensa de tudo diz Dona Dezinha, ainda veio hoje a praça São Sebastião para ver o levantamento do mastro que ficará por mais um ano.
O folclore de Belmonte é bastante diversificado e tradicional. O povo por aqui leva a sério seus costumes. Passado de geração em geração, consegue-se manter as mesmas características de antigamente.
A satisfação e o entusiasmo com que os integrantes dos grupos folclóricos atuam é contagiante. A dramaturgia, a riqueza de detalhes das fantasias e o cuidado na preparação das apresentações são tratados de forma minuciosa, essa delicadeza tem um ar de competição, embora tudo não passe de uma brincadeira.

Para o prefeito Janival Borges, quando é época de apresentações, nas ruas, não há quem não pare e se renda aos espetáculos folclóricos belmontenses.
As crianças são as que mais se fascinam, movidas por um misto de curiosidade e medo, elas se divertem interagindo com o , imitando os atos, cantando as músicas, se escondendo das caretas, enfim, a encenação é tão envolvente que desperta a atenção de todos, por isso em meu governo vamos apoiar todas as manifestações Culturais para que nossa historia não se perca no tempo.
O nosso secretario de turismo e cultura Herculano esta de parabéns pelo excelente trabalho que vem realizando em sua secretaria, transformando essa cultura em festival.
A festança tem seu ponto alto em frente à Igreja de São Sebastião, onde vários grupos atuam como protagonistas, que contam a nossa história e que faz a admiração dos espectadores.
Para o Dep. Estadual Janio Natal(que esse ano não pode estar presente) disse: são características como essas que fazem a nossa originalidade. Por isso os belmontenses se orgulham tanto de terem nascido neste pedaço do Brasil. Quando o filho desta terra conta histórias deste povo, a lembrança traz à tona aquela emoção de criança. Pois qual é o filho de Belmonte, que nunca colocou uma caixa de papelão na cabeça e imitou o batuque dos tambores? TumTum –TumTumTum!
O quadro de jurados formado pelo Secretários : Paulo Carvalho, Claudio Soares ; a senhora Neuzinha Guimarães e os Srs. Allan Gabriel, Roberval Monteiro e Josué Mello  tiveram muito trabalho para julgar os grupos que apresentaram no  festival:
Boi Vai quem guenta, Boi da cara preta, Boi Bandido e o Boi Barão que foi escolhido como o melhor do festival pela segunda vez, seguido por Boi da Cara Preta em segundo lugar, Vem Quem Guenta em terceiro e Boi Bandido em quarto lugar. 
Participaram do evento o prefeito Janival Borges, o presidente da Câmara Aelson, vereadores, secretários, e vários convidados.
Durante os dois dias do festival tivemos com; Bruno Felix e Arilma Morena e uma maravilhosa queima de fogos.
Nosso site aproveita pra agradecer o convite da organização pra fazer essa cobertura, em especial ao secretario Herculano sempre muito prestativo, a assessora de Imprensa do município, a Prefeitura Municipal de Belmonte que tem como gestor o Sr. Janival Borges, ao dep. Jânio Natal e a você que participou deste evento maravilhoso.