Repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foram suspensos para 38 cidades da Bahia entre janeiro e julho deste ano por causa de dívidas com a Previdência.

Segundo a coluna Satélite, do jornal Correio, durante o período, os municípios deixaram de receber pelo menos uma das parcelas do benefício que é a principal fonte de receita das cidades de pequeno e médio porte.

Um levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que, em todo o Brasil, R$ 3,61 bilhões do FPM foram bloqueados por irregularidades, atingindo a economia de 663 das 5.568 prefeituras do país.