Milhões de telespectadores vão acompanhar, no domingo (6), a transmissão do Globo de Ouro, uma das mais importantes cerimônias de premiação de Hollywood, que ajuda alguns filmes ou atores a chegarem ao Oscar. Conheça os principais destaques da edição 2019.

Consagração para Lady Gaga ?

A noite de domingo pode selar o destino do filme "Nasce uma estrela", o enésimo remake de um popular hit de 1937, que está competindo em cinco categorias do Globo de Ouro, incluindo a de Melhor Filme de Drama e de Melhor Atriz com Lady Gaga.

A cantora também foi indicada na categoria de Melhor Música com "Shallow": o hit que interpreta com seu parceiro Bradley Cooper, também diretor do filme.

No caso de uma vitória no Globo de Ouro, o filme colocaria a estrela pop em órbita para entrar na galáxia do Oscar, cujas indicações serão anunciadas no dia 22 de janeiro.

  Bradley Cooper e Lady Gaga em cena de Nasce uma estrela — Foto: Divulgação                          Bradley Cooper e Lady Gaga em cena de 'Nasce uma estrela' — Foto: Divulgação

"Vice" e suas críticas divididas

"Vice", um retrato sarcástico do vice-presidente americano Dick Cheney, dirigido por Adam McKay, lidera a lista com seis indicações. Mas desde a sua estreia nos cinemas em 25 de dezembro, as críticas estão divididas.

Será que isso o prejudicará no Globo de Ouro, que é concedido pelos membros da Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA)?

A performance de Christian Bale, irreconhecível em Dick Cheney, é unânime, mas muitos criticam o filme em si por ficar na superfície do personagem ou pior, pender para a caricatura.

O filme, que trata de temas pesados e às vezes trágicos em tom burlesco, está presente na categoria de "Filme de Comédia ou Musical", onde enfrenta pesos pesados como "A Favorita", "Green Boook - O Guia" com Viggo Mortensen e Mahershala Ali, e "O Retorno de Mary Poppins".

E a maioria dos especialistas ou sites apostam na derrota de "Vice".

  Vice tem Christian Bale como o ex-vice-presidente americano Dick Cheney — Foto: Divulgação                 'Vice' tem Christian Bale como o ex-vice-presidente americano Dick Cheney — Foto: Divulgação"Roma", aquecimento para o Oscar?

"Roma," o filme de Alfonso Cuaron que retrata sua infância em um bairro da Cidade do México foi filmado em espanhol e não pode competir na categoria de "Melhor Filme de Drama".

Muitos acreditam que ele ganhará o Globo de Ouro de "Melhor Filme Estrangeiro" e que o cineasta mexicano, vencedor do Oscar por "Gravidade" em 2014, também vencerá o prêmio de "Melhor Diretor".

Nesse caso, "Roma" largaria com vantagem na corrida para o Oscar.

Os antigos e os modernos

O Globo de Ouro também celebra a televisão, com uma estranha mistura de novidades e déjà vu. Concorrem séries lançadas muito tarde para competir no Emmy Awards e outras, mais antigas, já premiadas.

Para complicar ainda mais, o júri do Globo de Ouro muitas vezes surpreendeu ao escolher outsiders.

Assim, enfrentam-se no domingo "The Marvelous Mrs. Maisel", que triunfou no Emmy e que a Amazon já colocou online a segunda temporada, e os mais frescos "Homecoming", com Julia Roberts, e "O Método Kominsky ", a série Netflix com Michael Douglas.

  Andy Samberg e Sandra Oh apresentam o Globo de Ouro 2019 — Foto: Divulgação           Andy Samberg e Sandra Oh apresentam o Globo de Ouro 2019 — Foto: Divulgação
Desafio de audiência

Os apresentadores da noite de gala, Sandra Oh ("Grey's Anatomy", "Killing Eve") e Andy Samberg, serão capazes de assegurar o espetáculo e salvar um formato televisivo em declínio?

Na era das redes sociais, cerimônias intermináveis (três horas, intercaladas com propagandas tediosas) estão se tornando menos populares. Muitos fãs se contentam em consultar as listas finais e trechos de vídeos selecionados na internet.

A edição de 2018 do Globo de Ouro contou com a participação de apenas 19 milhões de telespectadores nos Estados Unidos. E em setembro, o Emmy Awards fracassou, atraindo apenas 10,2 milhões de pessoas, o menor público de sua história.

Sandra Oh e Andy Samberg prometeram uma festa mais rica em piadas do que discursos militantes, como os que marcaram a edição anterior, em plena agitação do caso Weinstein.