O Real Madrid venceu o Grêmio por 1 a 0 neste sábado, no Estádio Zayed Sports City, em Abu Dhabi, e garantiu o hexacampeonato do Mundial de Clubes. No primeiro tempo, em grande atuação da dupla de zaga Kannemann e Pedro Geromel, os gremistas conseguiram segurar a pressão merengue e levaram o empate sem gols para o vestiário. Porém, aos 7 minutos da etapa final, Cristiano Ronaldo abriu o placar em cobrança de falta. A partir daí, a equipe espanhol ditou o ritmo da partida sob a batuta de Modric e companhia, sem dar espaços ao Grêmio, que quase não levou perigo ao gol de Keylor Navas.

Com o resultado, o Real, atual campeão europeu e mundial, dispara como recordista de títulos internacionais (26, no total). A taça em Abu Dhabi também alivia a cobrança pelo início de temporada instável sob o comando de Zidane antes do clássico contra o Barcelona, que será disado na próxima quarta-feira. Já a equipe de Porto Alegre, ao menos se dedicou ao máximo para evitar um goleada de um rival tecnicamente muito superior, volta para casa com a sensação de dever cumprido. Renato Gaúcho disse que foi melhor que Cristiano Ronaldo, mas, alheio a comparações, foi o português que se autointitula como o maior jogador da história, quem decidiu a parada a favor dos madridistas. Essa foi a quinta vez que brasileiros e espanhóis se encontram na final, com três vitórias para os europeus.