De olho na herança política dos pais, sete filhos de políticos baianos se preparam para pisar o parlamento estadual ou federal na sucessão do próximo ano.

Contando com o apoio do capital eleitoral da família, seis deles vão tentar ocupar as cadeiras deixadas pelos pais na Assembleia Legislativa, enquanto um, o presidente da Desenbahia, Otto Alencar Filho (PSD), vai tentar um voo bem mais alto: a Câmara dos Deados em 2018.

Filho do senador Otto Alencar, presidente do PSD no estado, ele desponta como uma das principais apostas do partido para a disa por uma vaga no Congresso Nacional.

Além de Otto Filho, outros três possíveis candidatos são do PSD. Diego Coronel, filho do presidente da Assembleia Legislativa, Ângelo Coronel, briga pelo lugar do pai, que cogita mudar de ares após sete mandatos como dep. estadual. A princípio, sonha com espaço na chapa majoritária do governador Rui Costa (PT) na sucessão estadual.

 

 

Larissa Oliveira é filha do prefeito de Eunápolis e deverá ser candidata em 2018 – Foto: Arquivo

Já Larissa Oliveira e Rogério Andrade Filho vão tentar tomar de volta as cadeiras deixadas pela família na Assembleia no ano passado. Eles são, respectivamente crias dos ex- dep. estaduais Robério Oliveira e Rogério Andrade, eleitos prefeitos de Eunápolis e Santo Antônio de Jesus em 2016.

O ex-dep. estadual Vando (PSC), que em 2016 foi eleito prefeito de Monte Santo, trocou a capital pelo interior e, agora, quer lançar o filho Leandro Laerte (PSC) na corrida por uma vaga na Assembleia.

Laerte não é necessariamente um novato na política, já que é vereador da cidade governada pelo pai. O sexto integrante do time dos herdeiros é João Paulo Isidório, filho do deado estadual Pastor Sargento Isidório (Avante).

 

 

Otto Alencar Filho – presidente do Desenbahia – Foto: Divulgação

O pai deve tentar uma vaga na Câmara dos Dep. no próximo ano e fará dobradinha com João, que hoje comanda a Fundação Doutor Jesus, famosa instituição idealizada pelo deado.

O ex-jogador de futebol Igor Manassés (PSL) completa a escalação da equipe. Filho do dep. estadual Manassés (Pros), ele é primeiro suplente do vereador José Trindade (PSL) na Câmara de Salvador e diz que a possibilidade de candidatura ainda está sendo amadurecida, mas também deve fazer dobradinha com o pai caso ele tente concorrer a uma vaga em Brasília. POR CORREIO DA BAHIA.