FOTO: VARELA NOTICIAS

Colégio só pode ser implantado onde a cidade tem Batalhão da PM

O dep. Jânio Natal (Podemos) apresentou indicação ao governo do Estado solicitando a implantação de uma unidade do Colégio da Polícia Militar (CPM) em Porto Seguro, cidade localizada no extremo sul, região representada pelo parlamentar.

Justificando a proposição, Jânio observa que “infelizmente, a deficiência do ensino público no Brasil é uma verdade antiga e de amplo conhecimento de todos, constituindo uma das maiores dificuldades para que o jovem oriundo das classes mais humildes consiga melhorar de vida”, disse.

Ensino deficiente - No Nordeste, esta situação é ainda mais evidente e atinge milhões de jovens. “Apenas para dar uma ideia do problema, os municípios de Porto Seguro e Eunápolis, no extremo sul da Bahia, possuem, juntos, uma população de quase 300 mil pessoas, que convive com as sérias deficiências do ensino público”, completou.

O parlamentar disse ainda que “algumas instituições de ensino escapam a esta regra geral, tornando-se modelos de qualidade e oferecendo a seus alunos uma educação de bom nível, proporcionando-lhes assim melhores oportunidades”, ressaltando que na Bahia, “um dos melhores exemplos desta realidade é o Colégio da Polícia Militar (CPM), criado originalmente para atender aos filhos de dependentes dos policiais militares e que, exatamente por sua qualidade, acabou ampliando os seus serviços e hoje atende a uma boa faixa dos estudantes baianos”, lembrou.

Cidades vizinhas - Para Jânio “diante destes fatos e considerando a grande quantidade de reivindicações recebidas da população dos municípios do extremo sul Baiano e os benefícios que serão trazidos aos nossos jovens, faço esta indicação ao governador Rui Costa, para a implantação de um Colégio da Polícia Militar (CPM) em Porto Seguro, onde existe um Batalhão da PM, para atender não apenas ao município, mas também a Eunápolis e cidades da microrregião, como Santa Cruz Cabrália, Belmonte, Itapebi, Itabela, Itagimirim e tantos outros municípios”, concluiu Jânio Natal.