Superlotado, com 373 detentos a mais do que a capacidade máxima de 447, o presídio de Eunápolis está proibido de receber novos presos temporários, por decisão do juiz Otaviano Sobrinho, da Vara Crime da comarca local, desde a quarta-feira, 1º de novembro. A medida se tornou pública nesta sexta, 3.
A interdição parcial da unidade prisional do estado foi pedida pelo Ministério Público (MP-BA) e pela Defensoria Pública em 2015. Hoje o local já conta com 574 presos provisórios – aqueles que a Justiça ainda não julgou o mérito da acusação em definitivo. A decisão judicial já foi acatada pela direção do presídio, que abriga hoje 820 detentos em condições precárias, segundo levantamento feito em setembro deste ano.