E o último dia do Festivale foi marcado simplesmente por uma onda de movimentos culturais que coloriu as ruas de nossa Belmonte.
E foi lindo de ver essa mistura de cores, culturas, ritmos e danças  desfilando por nossas ruas. Era evidente alegria estampada  em cada sorriso dos componentes dos movimentos culturais. Alegria e satisfação de mostrarem sua cultura e ao mesmo tempo de poder compartilhar da nossa  também.  
A concentração dos movimentos culturais aconteceu no Cras e por volta das 15 horas todos seguiram juntos em desfile pelas principais ruas do centro da cidade num verdadeiro cotejo de diversidade tendo como principal destino a praça da Bandeira.
E não poderia ter sido escolhido outro lugar que não fosse a Praça da Bandeira pra reunir todos os movimentos culturais, afinal ela tem ao fundo como cenário natural o nosso belo Jequitinhonha e o nosso tão formoso pôr do sol, que por sinal é o mais belo de todos.
E foi assim que os diversos movimentos culturais começaram a se apresentarem, sim bem alí tendo o nosso pôr do sol e o nosso Rio Jequitinhonha como maiores espectadores e admiradores.
E o pôr do sol apareceu assim tão majestoso, imponente e reluzente que transcendia,  a brisa fresca e suave que fazia, exalando o perfume que vinhas das águas de nosso anfitrião, demonstrava o carinho da natureza como forma de agradecimento e também de despedida ao evento de maior proporção que nossa cidade já recebeu.
Nossa cidade pode proporcionar de momentos únicos, marcantes e que sem dúvida contribuíram de maneira significativa para o fortalecimento e valorização cultural de nossas  verdadeiras identidades e raízes. Depois do Festivale Belmonte nunca mais poderá ser chamada de "pacata".
Gostaríamos de deixar registrado nossos agradecimentos a comissão organizadora do evento, liderado pelo Secretário Herculano Assis pelo belo e árduo trabalho na concretização do sucesso que foi o Festivale.