Durante o período de baixa estação, uma das apostas da Secretaria do Turismo do Estado para aquecer o setor na Bahia é o turismo de observação de baleias jubartes. Entre os meses de julho e outubro, esses mamíferos visitam o litoral baiano para o período de reprodução da espécie. A estimativa do Instituto Baleia Jubarte é que cerca de 20 mil animais visitem a costa baiana neste período. Oito pontos de avistamento do animal estão distribuídos entre Praia do Forte, Salvador, Morro de São Paulo, Itacaré, Barra Grande, Porto Seguro, Arraial D’Ajuda, Cumuruxatiba, Prado e Caravelas. A estimativa do instituto é de que cerca de 15 mil turistas visitem o litoral da Bahia para participar dos passeios de observação.

A bióloga Luena Fernandes, do Projeto Baleia Jubarte, explica que as baleias escolhem o litoral da Bahia em função das águas quentes da região. “Os passeios de observação são realizados em média de duas a três horas de navegação. Neste período, nós procuramos os grupos de baleias para que as pessoas as conheçam no seu ambiente natural e observem seu comportamento”.

O coordenador de atividades do Instituto Baleia Jubarte, Sérgio Cipolotti, explica que, além do turismo, a ação permite a coleta de dados sobre os animais e, neste período, a probabilidade de encontrar as baleias chega a 99%. “O instituto incentiva o turismo de observação de baleias, que traz um valor agregado à preservação desses animais. A gente trabalha com a conservação e o desenvolvimento de um turismo responsável e traz informação e educação ambiental para as comunidades onde há ocorrência das baleias. O trabalho que desenvolvemos é científico e, também, de fomento ao desenvolvimento socioeconômico das regiões”.