O final de ano será de preocupação para mais de dois mil servidores de prefeituras do sul, extremo sul e sudoeste da Bahia. De acordo com a Amurc – Associação dos Municípios do Sul, Extremo-Sul e Sudoeste da Bahia, os municípios enfrentam queda na arrecadação e não podem gastar mais que 54% das receitas com folha de pagamento, em cumprimento à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Pesquisa realizada pela Amurc com a maioria dos 29 municípios associados à entidade aponta que 95% dos prefeitos justificam a falta de recursos financeiros e 98% alegam o alto índice de pessoal como justificativa. Todos afirmam que os valores da folha de pagamento interferem diretamente nos investimentos de infraestruturas dos municípios.

Todos os municípios estão economizando água, energia elétrica, aluguel, diárias e combustíveis. Um terço ainda vai fazer redução de carga horária e dar férias coletivas. Quase 90 % dos municípios estão implementado ações que resultem na melhoria das receitas próprias, a exemplo do IPTU e ISS e fazendo revisão de convênios e contratos.