Uma candidatura de prefeito custa em torno de um a dois milhões, e de vereador de setenta a cento e vinte mil reais.
 
E não é pra comprar voto não. No caso de prefeito, ficar seis meses a disposição da política sem fazer outra coisa, manter com gasolina, carro alugado e manutenção os assessores e fortes cabos eleitorais, fazer 500 ou 800 mil santinhos e mais um milhão de outras propagandas, revistas, jornais e sites,  manter os comícios, passeatas, carros de som, puxadores de saco, pedidos de igrejas, times de futebol, e hospitalizados; ajudas de custo para tratamentos de saúde e viagens, e ATÉ dinheiro para fazer funerais, churrasco e comemoração de  aniversários.
 
Contratos de advogados, viagens, etc, etc. ISTO SEM FALAR NAS ARMAÇÕES SECRETAS. Para o Vereador vem no mesmo ritmo, basta dizer que dos 11 atuais de Belmonte pelo menos 5 ou 6 vão se reeleger (sempre foi a média e gastam de 50 a 100 mil reais, saia de onde sair), sobrando apenas 5 ou 6 vagas para os outros 100 concorrentes, e ai também se destacam os que investirem mais e tiverem mais musculatura profissional de campanha.
 
Vamos ter de 13 a 15 mil votantes em Belmonte, 4 mil votam por competência, 5 mil votam para o compadre, o vizinho, o parente, por  emprego, por favores e por revanche; o restante votam por dinheiro. É A MÉDIA NA BAHIA E NO BRASIL. Uma Triste Realidade!!! aqui em Belmonte ou em qualquer lugar no mundo,  as pessoas votam por protesto contra àquilo que não concordam ou votam em quem paga mais.
 
Em breve a parte 10