A Prefeitura de Belmonte, através da Secretaria de Turismo, realizou nessa sexta-feira (06/04) o 1º Encontro da Rede Ofá do Turismo Étnico de Belmonte. O evento, que foi realizado em parceria com a Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (SETUR), tem como objetivo fomentar, valoriza e desenvolver a cultura com a promoção do turismo em comunidades negras e indígenas da Costa do Descobrimento. O encontro contou com a apresentação da coordenadora de Turismo Étnico da SETUR, Tâmara Azevedo, que apresentou o diagnóstico do turismo étnico da Costa do Descobrimento e explicou que a expansão dessa modalidade é um dos focos principais da Rede que está sendo formada nos municípios que compõem a região.

A primeira parte do evento foi realizada no Terreiro dedicado a Oxossi, sob a responsabilidade do Pai Ujurai, onde estiveram reunidos membros dos Terreiros do Pai Cosme e da Mãe Rita. Nesse primeiro momento foi explicada a todos a metodologia a ser empregada e quais os benefícios que a valorização irá trazer para os terreiros. Em seguida toda a comissão visitou o Terreiro dedicado a Oiá (Iansã), sob a responsabilidade do Pai Vanderson. No local foram apresentadas e debatidas as formas de trabalho e, logo após, foi disponibilizado como aperitivo um delicioso acarajé preparado pela casa especialmente para o evento. A finalização aconteceu no Terreiro dedicado a Oxóssi, da Mãe Otília, onde houve uma verdadeira troca de informações e experiência com uma das mais conceituadas Mãe de Santo da cidade.

Em conversa com  Herculano Assis, Secretário de Turismo de Belmonte, o mesmo explicou que a rede de Turismo Étnico da Costa do Descobrimento prorá 12 cursos profissionalizantes com o objetivo de preparar os terreiros para as demandas turísticas, criando assim, a alto suficiência dos mesmos gerada através de uma parceria com a Secretaria da Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI), Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e a SETUR. “Estamos buscando a valorização econômica dos terreiros que estarão se preparando para receber os turistas interessados em conhecer a cultura e a religiosidade afro belmontense. Os terreiros também serão incluídos no mapa de turismo da Costa do Descobrimento e todos os seus integrantes receberão treinamento para receber os visitantes e comercializar lembranças que poderão ser confeccionadas pelos mesmos. Essa iniciativa criará emprego e renda para essas comunidades, porém, sem criar nenhum dando à essência religiosa dos terreiros.” – Finalizou Herculano.